Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Programa de Atendimento e Apoio ao Surdocego
Início do conteúdo da página

Programa de Atendimento e Apoio ao Surdocego (PAAS)

Publicado: Quinta, 19 de Janeiro de 2017, 12h33 | Última atualização em Segunda, 17 de Abril de 2017, 12h50 | Acessos: 2279

Links relacionados:

Diante da necessidade de um trabalho especializado com vistas ao desenvolvimento pedagógico e social da pessoa surdocega foi criado no ano de 1993 o “Programa Piloto de Atendimento ao Deficiente Auditivo-Visual”, atual Programa de Atendimento e Apoio ao Surdocego (PAAS), destinado prioritariamente a jovens e adultos, a partir de 16 anos.

O PAAS tem por objetivo possibilitar o desenvolvimento do potencial das pessoas com surdocegueira congênita ou adquirida, promovendo a realização de atividades que venham ao encontro de seus interesses individuais. Busca-se estimular a socialização dos indivíduos surdocegos por meio de atividades pedagógicas, culturais e esportivas em ambientes internos e externos da Instituição.

Aos matriculados são oferecidas aulas individuais de Braille, Soroban e trabalhados sistemas de comunicação diversos, respeitando as especificidades de cada pessoa. Também são disponibilizadas aulas de Orientação e Mobilidade, Cerâmica, Artesanato, Educação Física entre outras com o apoio das professoras e/ou da intérprete do IBC.

O trabalho entre os profissionais do IBC ocorre de forma colaborativa e tem possibilitado uma maior participação dos alunos com surdocegueira nas atividades disponibilizadas pela Instituto. A reflexão, a discussão e a intervenção, geradas a partir da trabalho coletivo, resultam em ações que vão ao encontro do processo de inclusão.

 

Atividades desenvolvidas

As atividades do Programa são disponibilizadas de acordo com as necessidades e interesses dos alunos. Desse modo, os programas individuais são focados na aquisição das seguintes competências:

  • Comunicação – trabalha as possibilidades de comunicação dos alunos, ampliando a linguagem já existente ou adquirindo nova forma de comunicação;
  • Braille – contribui para a diminuição de barreiras comunicacionais, tornando os surdocegos mais independentes no que se refere a leitura e a escrita;
  • Soroban – expande a capacidade de aprendizado e desenvolve a concentração, coordenação motora fina, raciocínio lógico, lateralidade e percepção.

 As demais atividades são oferecidas pelo Departamento de Pesquisas Médicas e de Reabilitação (DMR), em que os alunos são matriculados. Lá, eles frequentam as aulas de  Orientação e Mobilidade, Artesanato, Cêramica, Informática, Educação Física, Música e Atividade de Vida Diária (AVD). Cada atividade, com suas especificidades, contribui para o desenvolvimento da autonomia, da socialização e da independência do sujeito surdocego.

 

Coordenação do Programa de Atendimento e Apoio a Pessoa Surdocega
Coordenadora – Flávia Mara Teixeira Miranda
Telefone – (21) 3478-4480
E-mail– Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

 

Fim do conteúdo da página