Essa pagina depende do javascript para abrir, favor habilitar o javascript do seu browser! Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > IBC comemora 166 anos de fundação em solenidade pela internet
Início do conteúdo da página
Notícias

IBC comemora 166 anos de fundação em solenidade pela internet

Esta foi a primeira vez  que a data foi comemorada  fora das dependências da instituição, em um evento on line. 

  • Publicado: Domingo, 20 de Setembro de 2020, 15h16
  • Última atualização em Domingo, 20 de Setembro de 2020, 22h26
Tela de computador dividida em três retângulos. No maior, à frente de  um fundo verde, com uma foto da fachada do IBC aplicada no canto superior esquerdo, uma mulher branca, de cabelos curtos louros e blusa vinho; no retângulo superior do canto direito, um homem de cabelos grisalhos e terno cinza; no retângulo abaixo, outra mulher de cabelos louros anelados e óculos escuros.
A live foi apresentada pela jornalista do Instituto, Marilia Estevão.

 A live foi transmitido pelo Youtube e contou com o recurso de audiodescrição para os internautas cegos, a cargo da professora Nadir Machado, em uma sala de transmissão paralela coordenada pela professora Bianca Della Líbera.  

O diretor-geral do Instituto, João Ricardo Melo Figueiredo presidiu a solenidade, que contou também com a diretora de Educação Especial da Secretaria de Modalidades Especializadas da Educação  (Semesp) do Ministério da Educação, Nïdia LImeira de Sá.

A primeira atração foi a edição comemorativa do vídeo do Hino Nacional brasileiro, que mostrou uma retrospectiva de aniversários anteriores da instituição, incluindo o de 100 anos, em 1954, além de fotos de outros eventos passados. Em seguida,  houve o lançamento do portal temático do Projeto Memória IBC,  hospedado no site do IBC e totalmente dedicado ao resgate das memórias institucional, cultural e audiovisual do Instituto.

Houve também o lançamento de duas publicações do IBC: a primeira foi o livro Conectando Conhecimentos, uma coletânea de textos dos seminários do Projeto Conectando Conhecimentos realizados entre os anos de 2015 e 2017, organizada pelos professores Nayara Rust e Fábio Garcia Bernardo.  Casados, eles participaram da transmissão ao lado do filho Pedro, apresentando o novo livro, cujo arquivo já está disponibilizado pelo site institucional.  O segundo lançamento foi  da nova apostila da Coleção Caminhos e Saberes —  Transcrição e Impressão Braille no Programa Braille Fácil, de autoria do  professor de braille do IBC Thiago Ribeiro Duarte. 

Em seguida, foi exibido o vídeo gravado pelo professor Antônio Luís e os judocas Karla Cardoso e Willians Araújo homenageando o IBC em nome de todos os atletas e professores responsáveis pelo paradesporto do Instituto.   O  representante do corpo discente do Instituto, o aluno Thales Ramos de Melo, do 7º ano, também participou da transmissão por meio de uma mensagem gravada em vídeo, no qual ele falou da importância do IBC em sua vida.    "Falar do IBC é como reescrever a história da minha vida.  Aqui aprendi a ser igual entre os diferentes e a trilhar o meu caminho até o futuro", disse Thales.  As participações dos atletas e do aluno mobilizaram os internautas, que postaram dezenas de mensagens sobre as falas deles. 

A diretora de Educação Especial da Semesp/MEC, Nídia Limeira de Sá , agradeceu a oportunidade de participar da live e disse que o IBC é um orgulho nacional.  Ela reafirmou o apoio que a Semesp vem dando ao Instituto para que amplie sua atuação, com seus cursos de mestrado e doutorado.  "Eu sonho com o que há de melhor na educação para o IBC porque este instituto é um orgulho nacional", disse ela dando os parabéns a todos os segmentos da comunidade acadêmica.

Renovando o sonho de Álvares de Azevedo

O  diretor do IBC iniciou seu discurso agradecendo a comissão organizadora do aniversário, em nome da sua presidente, professora Maria da Glória de Souza Almeida, pela realização da live.  Depois, ele chamou a atenção para o contexto em que este 166º aniversário do IBC estava acontecendo.  "Estamos vivendo um momento em que nenhum de nós um dia sonhou que iríamos enfrentar, encarando de frente o medo, a solidão e o isolamento.  Desde o dia 17 de março que estamos isolados.  Tivemos que descobrir novas formas de trabalhar.  Tivemos que nos reiventar, mas não foi uma tarefa difícil porque estamos juntos na construção desse nosso fazer".  Segundo o  diretor,  apesar das dificuldades, a Instituição não parou de entregar resultados à sociedade — não só os lançamentos do portal e dos livros feitos durante a live, como outras ações, incluindo  as que estão sendo desenvolvidas no departamento de Educação para que os alunos possam ter acesso a seus professores e à escola mesmo de forma remota.

João Ricardo lembrou que superar desafios está na base da criação do IBC, que nasceu em 1854, do sonho de um menino cego, José Álvares de Azevedo,  que queria um Brasil onde as pessoas cegas tivessem seu lugar na sociedade.  "Ao longo de sua história o IBC vem se reinventando, atendendo às necessidades que surgem. No meio desse ano tivemos a grande noticia de que nosso curso de mestrado na área de ensino para pessoas com deficiência visual havia sido aprovado pelo MEC.  Estamos trabalhando de forma firme para que tenhamos um edital até o final deste ano para formação da primeira turma e início das aulas no segundo semestre do ano que vem.  Isto também só foi possível  graças a um sonho lá de trás,  de quando Érica Deslandes era diretora-geral, que agora foi concretizado", completou o diretor, destacando a atuação das  professoras Elise de Melo Borba Ferreira e Naiara Rust, no processo de aprovação do mestrado.

João reconheceu que a vontade de fazer o IBC evoluir para se transformar em uma instituição de ensino superior hoje encontra eco no MInistério da Educação. "Que bom que nós temos esse alinhamento.  Nós precisamos que a nossa instituição cresça, com cursos de graduação na área da deficiência visual, com cursos de mestrado e de doutorado onde nós possamos ter a pesquisa  atrelada ao ensino e à extensão. Assim, poderemos ter na escola do IBC a materialização de tudo o que acontecer na graduação e na pós-graduacão, Com isso nós inclusive garantimos a existência da instituição e não passaremos por dissabores como aconteceu em 2011, quando quiseram fechar a escola do IBC. Então, esta data é de alegria mas também serve para revigorar o nosso sonhar para que juntos possamos buscar o melhor para a Instituição", concluiu.

Após a fala do diretor-geral do IBC foi exibido um vídeo de encerramento, produzido pelos alunos da reabilitação que fazem parte do Grupo Musical Ponto de Vista, no qual eles contam um pouco de suas vidas e cantam a música Linda Juventude, de Flávio Venturini.

Participaram da organização e execução da transmissão da live os servidores: Bianca Della Líbera, Jorge Oliveira, Leonardo Raja Gabaglia, Luigi Amorim, Marília Estevão e Nadir Machado.

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página