Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Notícias

IBC participa de capacitação de profissionais que atuam no Projeto João do Pulo em todo o País

O Projeto agora contempla o atendimento às pessoas com todos os tipos de deficiência, com prioridade para crianças e adolescentes das redes pública de ensino.

  • Publicado: Quinta, 07 de Novembro de 2019, 13h34
  • Última atualização em Quinta, 07 de Novembro de 2019, 17h41
  • Acessos: 619
Os professores Fábio Brandolin, Renato Redoválio e Paulo Sérgio Miranda foram homenageados pela coordenação do Projeto.
Os professores Fábio Brandolin, Renato Redoválio e Paulo Sérgio Miranda foram homenageados pela coordenação do Projeto.

O evento foi promovido pelo  Departamento de Desporto Militar (DDM) e foi realizado, durante toda esta semana, na Associação de Esporte e Lazer dos Subtenentes e Sargentos do Exército em Brasília (ASSEB).

Durante os últimos quatro dias, profissionais especializados na condução de atividades esportivas voltadas às pessoas com deficiências físicas, mentais, sensoriais  e múltiplas deram palestras sobre como contribuir para a inclusão dessas pessoas no esporte e, consequentemente, na sociedade.  O Instituto Benjamin Constant, parceiro do Projeto, participou da capacitação com os professores Fábio Brandolin, Paulo Sérgio Miranda e Renato Redoválio Ferreira.

Além das aulas teóricas, os participantes puderam colocar em prática os conteúdos aprendidos.  Orientados pelos professores do IBC e das outras instituições parceiras do Projeto, eles realizaram atividades físicas com um grupo de crianças e adultos com diferentes deficiências no ginásio da ASSEB.

"A participação das instituições especializadas no atendimento a estas pessoas são fundamentais para que a gente consiga realmente fazer um trabalho que impacte positivamente a vida delas", disse a coordenadora da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Manaus, no estado do Amazonas.

Além do IBC e da APAE, o evento contou com a participação de professores e técnicos da Associação Pestalozzi e do Centro de Treinamento de Educação Física Especial (CETEFE).  Para o coronel Paulo de Tarso Corrêa dos Santos, coordenador do Projeto João do Pulo no âmbito do Exército Brasileiro, a participação das instituições especializadas nele é fundamental a partir de agora. "Nós temos tido excelentes resultados com os militares sequelados.  Mas agora é outra história. Sem vocês, do IBC, das Apaes, da Pestalozzi e do CETEFE e de outras instituições que poderão se juntar a nós, fica muito difícil desenvolver este trabalho, principalmente com crianças pequenas", completou.

O professor Fábio Brandolin, que tem sido o principal interlocutor do IBC  na consolidação dessa parceria com o Ministério da Defesa, disse estar muito otimista com os rumos que o esporte de alto rendimento do Benjamin Constant está tomando.  "O uso das instalações militares vai possibilitar um treinamento físico mais adequado às necessidades dos nossos atletas, sem falar nos recursos que poderão ajudar a gente a arcar com os custos de uniformes, equipamentos e participação em campeonatos", explicou.

O diretor-geral do IBC, que também passou a semana em Brasília  dividindo-se entre as atividades do Projeto João do Pulo e reuniões no Ministério da Educação, disse que a participação do Instituto no projeto é estratégica, não só para o paradesporto do IBC.  "Cada vez mais estamos assumindo um protagonismo no desenvolvimento de ações de formação continuada na área da deficiência visual.  Ter as forças armadas como parceiras nessa missão é realmente muito importante, diante da capilaridade que elas têm em todo território nacional", concluiu.

O Programa Força no Esporte (PROFESP)

A ampliação do público-alvo do Projeto João do Pulo faz parte da mudança de status do Programa Força no Esporte, com a assinatura do Decreto Nº 10.085/2019 realizada na última terça-feira (5) pelo presidente Jair Bolsonaro, na solenidade dos 300 dias de governo.

O Programa foi criado em 2003 para atender crianças e adolescentes, dos 6 aos 18 anos, das redes públicas de ensino, em situação de vulnerabilidade social por estarem inseridas em comunidades de risco. O atendimento consiste em oferecer atividades físicas saudáveis, divertidas e socialmente inclusivas no contraturno escolar, em instalações do Exército, Marinha e Aeronáutica.

"Começamos com mil crianças e o apoio apenas do Ministério do Esporte e do Desenvolvimento Social; hoje, atendemos 28.400 crianças em todo o Brasil.  Com o decreto assinado pelo presidente, o Profesp foi ampliado e fortalecido. O Projeto João do Pulo, extensão dele, também",  explicou o seu coordenador, o coronel Rodrigo de Moraes Tavares. 

Segundo ele, o novo Projeto João do Pulo passará a também atender pessoas com todos os tipos de deficiência, priorizando crianças e jovens.  "Com esta medida, tanto o Profesp como o Projeto João do Pulo passam a ser ações de Estado e não apenas de governos", complementou. 

A expectativa do Ministério da Defesa é que a execução do decreto assinado anteontem eleve para 40.000 o número de crianças e jovens em situação de risco social atendidas nas organizações militares por meio da prática esportiva.

Fim do conteúdo da página